Professor Max Haetinger





Eu , Professor Max Haetinger e Mary No evento da Editora Positivo
no Oton Palace, em 13/11/09.

Indisciplina na Escola



Um comportamento indisciplinado é qualquer acto ou omissão que contraria alguns princípios do regulamento interno ou regras básicas estabelecidas pela escola ou pelo professor ou pela comunidade. A indisciplina é uma resposta à autoridade do professor.




O aluno contesta porque não está de acordo com as exigências do professor, com os valores que ele pretende impor, com os seus critérios de avaliação, a sua parcialidade, ... Existe entre o professor e o aluno uma relação desequilibrada. O aluno não aceita o professor ou a sua disciplina. O professor não consegue motivar o aluno ou despertá-lo ou cativá-lo.



Os motivos da indisciplina podem ser extrínsecos à aula , tais como problemas familiares, inserção social ou escolar, excessiva protecção dos pais, carências sociais, forte influência de ídolos violentos, etc. Nestes casos o professor pouco pode fazer. No entanto existem outras causas que resultam de disfunções entre os alunos e a escola.







A desmotivação dos alunos e o desinteresse explicito por aquilo que se pretende ensinar ou qualquer outro comportamento inadequado, por vezes não são mais do que chamadas de atenção ao professor sobre os seus métodos de ensino ou sobre as estratégias de relação na aula. O professor deve ser explícito e justo na negociação do contrato que é feito com os alunos. A alteração das regras pode provocar indisciplina.



Um aluno indisciplinado pode não ter insucesso.



O aluno traz para a aula os valores e atitudes que foi apreendendo até aquele momento. A indisciplina pode ser um reflexo da ausência de condições para uma adequada educação familiar.



Prof2000

Bastão ou cursiva?

Um assunto que vem gerando polêmica e está sempre presente no meio pedagógico, é a questão de que tipo de letra usar para alfabetizar.
Por um lado afirma-se que o mais indicado para o início do processo é ensinar a letra tipo bastão é mais fácil para o aluno e para o professor também. Mas por outro lado o processo de transição da bastão para a cursiva torna-se muito mais lento, muitos professores afirmam também ser um perda de tempo.
Segundo ferreiro, (apud nova escola, 1996, p. 11) começar a alfabetização com letra bastão é uma tentativa de respeitar a seqüência do desenvolvimento visual e motor da criança. Porém todos os alunos tem capacidade de aprender a letra cursiva, apesar da letra bastão ser encontrada com mais freqüência, é com a cursiva que o aluno vai escrever a vida inteira. Veja os depoimentos abaixo:
"Na minha escola a professora ensinou a escrever com a letra bastão desde o jardim, hoje com 14 anos, estou no 9º ano e ainda tenho dificuldades motoras para escrever a cursiva, passei por quatro escolas diferentes, e em todas elas ouvia os professores dizer que eu deveria escrever com letra cursiva."

Mariana Rios, aluna de Escola Pública na Bahia




A letra bastão ou de fôrma maiúscula, cujas formas são mais simples, oferecem maior facilidade no traçado de crianças menores que ainda não desenvolveram a coordenação motora fina para a escrita. É mais indicada para letrar os alunos porque aparece em embalagens, livros, teclas do computador, jornais, revistas, ônibus, placas de rua, cartazes e em muitos outros lugares. É parte da vida cotidiana da criança e é reconhecida facilmente. A escrita é mais lenta do que a cursiva pelo movimento de se tirar o lápis do papel repetidas vezes. A criança pode ter dificuldades em passar para a cursiva depois.
A letra cursiva tem o traçado mais difícil e aparece só em bilhetes, cartas, nos cadernos dos colegas ou no quadro usada pela professora. Ajuda a criança a distinguir palavras reconhecendo-as separadas. É mais rápida pois o traço é contínuo. Quem a aprende tem mais facilidade para traçar a letra bastão, porém pode atrasar o ensino da escrita e da leitura, por exigir mais das crianças.
Como podem observar os dois tipos de letra trazem benefícios e dificuldades. Há professores que usam uma ou outra e os que usam as duas juntas. Particularmente prefiro utilizar as duas, porém a bastão mais para reconhecer e ler, na escrita, uso a cursiva desde o início, e não tive nenhuma dificuldade na transição, nem os aluno.

Dia do Professor

Orkutei.com.br





http://www.orkutei.com.br

Projeto Procurando Nemo


JUSTIFICATIVA
O trabalho com vídeos infantis torna a aula mais atrativa, dinâmica e mais próxima da realidade dos alunos.
Valoriza a língua como veículo de comunicação e expressão das pessoas e dos povos, abrangendo o desenvolvimento da linguagem, da leitura e da escrita.
OBJETIVOS:
• Recuperar as histórias da primeira infância;
• Preparar a criança para a aprendizagem da leitura e da escrita, de maneira lúdica e criativa;
• Trabalhar com a narração, com o corpo e a gesticulação, entonação e preparação do espaço a ser utilizado pelas crianças, ampliando os vários sentidos da narrativa;
• Garantir ainda uma relação mais afetiva entre professores e alunos e facilitar uma melhor integração no ambiente escolar;
• Refletir sobre os princípios éticos, morais e culturais apresentados no vídeo, interligando-os com a realidade atual, desenvolvendo a habilidade da argumentação;
• Produzir textos diversos coletivamente (narrativos, descritivos, bilhete, receitas, anúncios,);
• Explorar a linguagem oral e escrita.

MATERIAIS:

DVD: Procurando Nemo;
Televisão e DVD;
Fantoches ou dedoches dos personagens;
Diversos (sulfite, lápis de cor, giz de cera, cartolina,...).

Plano de intervenção para o Ensino Eundamental

1.TEMA:

A FAMILIA NO AMBIENTE ESCOLAR: CONTRIBUIÇÕES A APRENDIZAGEM DA CRIANÇA.

SUBTEMAS:

Família
Escola
Criança
Comportamento

2.JUSTIFICATIVA:

O envolvimento e a participação da família no ambiente escolar nos dias atuais, é considerado um componente importante para o desempenho ideal das instituições de ensino, e para a segurança da criança em sua vida escolar.

O ambiente escolar tem sem dúvida, uma função importantíssima, a educadora. Por isso se faz necessário que a família procure acompanhar o desenvolvimento da criança em todo o seu processo de aprendizagem, tanto no lar quanto na sua atividade na escola.

3. OBJETIVO GERAL:

Desenvolver um trabalho coletivo no ambiente escolar incluindo a família no processo ensino-aprendizagem, como parceiros e colaboradores, estimulando o crescimento do aluno, resgatando o fortalecimento da auto-estima.

4. OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

*Valorizar dentro do ambiente escolar e familiar a importância do diálogo;

*Promover a integração entre família e escola, estimulando o rendimento e o comportamento escolar;

*Ressaltar a importância da afetividade na escola e na família;

*Trabalhar o lógico-matemático, lingüística e produção de textos coletivos;

*Orientar os alunos sobre os direitos e deveres de cada um (normas da escola);

*Adotar atitudes de solidariedade, companheirismo, respeito e cooperação;

*Aprender a resolver conflitos por meio do diálogo, ouvir e respeitar os outros

5.DESENVOLVIMENTO:

Conversação;
Filmes;
Cantigas de roda
Histórias;
Músicas;
Contos;
Passeio na casa dos alunos;
Promover jogos;
Piquenique;
Conversação sobre a família;
Origem do nome;
Álbum do nome;
Pesquisa da família montando a árvore geanológica;
Trazer fotografias da família;
Mural com palavras mágicas que ajudam na boa convivência;
Ajudante do dia;
Corpo humano;
Cuidado com as coisas alheias.

6- Metodologia:

*Apresentar filmes sobre a família;

*Trabalhar histórias em quadrinhos, literárias, músicas, fantoches, teatro e conto partindo do tema;

*Discutir o desempenho de cada membro da família, as diferenças e semelhanças;

*Produzir um mural da família (com fotos ou recortes), mostrando as diversas estruturas familiares, ressaltando a importância do amor, respeito, solidariedade, perdão...;

*Trabalhar a auto-estima e a responsabilidade de cada aluno, partindo do ajudante do dia;

*Trabalhar com os conteúdos sobre higiene e fazer com que eles se reflitam também em casa.


7- CONTEÚDOS:

*Linguagem oral e escrita: textos coletivos, utilização da escrita, recorte de palavras relacionadas com o tema, leitura de textos complementares;

*Lógico-matemático: contagem de letras, gravuras e situações-problemas

*História e Geografia: árvore geanológica, comparar fotos passadas e atuais da criança/escola e criança/ família, localização da escola em relação da residência de cada aluno;

*Ciências; higiene e corpo humano;

*Ensino Religioso; confecção de cartazes, ressaltar a importância do trabalho em grupo e o respeito ao próximo e outros valores morais.


8.ATIVIDADES:

*Releitura de filme sobre a família;

*Utilizar recortes e desenhos livres, partindo de história em quadrinhos e leituras;

*Trabalhar os diversos tipos de moradias, através de histórias infantis (Os três porquinhos) e visitas (casa dos alunos) ou de recortes de revistas;

*Pedir para os alunos que pesquisem com seus pais e avós sobre a sua origem;

*Recorte de revistas ou fotos da família para montar um mural sobre o tema;

*Partindo do tema higiene, pedir para que as crianças tragam de casa, rótulos de produtos de higiene para colar num painel de onde se fará outras atividades: (com que letra começa..., quantidade de letras etc);

*Trabalhar vários textos coletivos a partir do tema do dia.


9.AVALIAÇÃO:

Será feita através de registros, de acordo com a participação, interesse e desenvolvimento de cada aluno, individual e coletivamente.

Dia da árvore








ÁRVORE FEITA COM BALÕES.


Brincar sempre





Projeto Dia do Soldado











O dia 25 de agosto foi escolhido como Dia do Soldado por ser a data de nascimento do Duque de Caxias, declarado patrono do Exército brasileiro em 13 de março de 1962.

Luís Alves de Lima e Silva, o Duque de Caxias, nasceu em 25 de agosto de 1803, na Vila de Porto Estrela (atual Duque de Caxias), no Rio de Janeiro. De família militar, sua vida sempre esteve ligada ao exército. Aos 5 anos de idade foi aceito como cadete. Aos 15 anos, já pertencia à Academia Real Militar. Recebeu várias promoções até alcançar o de marechal, posto máximo na hierarquia militar.
Caxias teve uma participação fundamental nas lutas de consolidação da Independência. Entre elas, podem ser citadas as campanhas na Bahia (1823) e na Cisplatina (1815-1825). Em 1837, já com a patente de tenente-coronel, comandou a luta para reprimir a revolta da Balaiada (Maranhão e Piauí, 1838-1841). Em 1841, é promovido a coronel e recebe o título de barão de Caxias. Em 1842, reprimiu manifestações liberais em Minas Gerais e São Paulo e os últimos focos da guerra dos Farrapos, o que lhe valeu o título de Conde e a escolha para o senado em 1846.Internacionalmente, participou das campanhas contra o governo de Manuel Oribe (Uruguai) e o ditador Juan Manuel Rosas (Argentina). Alcançou a patente máxima do Exército, a de Marechal, durante a Guerra do Paraguai (1865-1870). Nessa guerra, liderou a Tríplice Aliança (Brasil, Argentina e Uruguai), conquistando Assunção, capital do Paraguai, em 1869. Graças à sua participação, recebeu o maior título de nobreza dado a um brasileiro pelo Imperador: o de Duque de Caxias.Na administração, ocupou a presidência da província do Rio Grande do Sul em 1846 e o cargo de Ministro da Guerra em 1854 e 1861. Também foi presidente do Conselho de Ministros, função equivalente à do primeiro-ministro no sistema parlamentarista, em 1861.Morreu em Desengano, hoje Juparanã, no Rio de Janeiro, em 7 de março de 1880.
Aprendizagem em Ação
CANÇÃO DO EXÉRCITO ( clique para ouvir)



Nós somos da Pátria a guarda,
Fiéis soldados,
Por ela amados.
Nas cores de nossa farda
Rebrilha a glória,
Fulge a vitória.

Em nosso valor se encerra
Toda a esperança
Que um povo alcança.
Quando altiva for a Terra
Rebrilha a glória,
Fulge a vitória.

A paz queremos com fervor,
A guerra só nos causa dor.
Porém, se a Pátria amada
For um dia ultrajada
Lutaremos sem temor.

Como é sublime
Saber amar,
Com a alma adorar
A terra onde se nasce!
Amor febril
Pelo Brasil
No coração
Nosso que passe.

E quando a nação querida,
Frente ao inimigo,
Correr perigo,
Se dermos por ela a vida
Rebrilha a glória,
Fulge a vitória.

Assim ao Brasil faremos
Oferta igual
De amor filial.
E a ti, Pátria, salvaremos!
Rebrilha a glória,
Fulge a vitória.

A paz queremos com fervor,
A guerra só nos causa dor.
Porém, se a Pátria amada
For um dia ultrajada
Lutaremos sem temor.

Para o Dia dos Pais








Internet - Fazendo um contrato com os filhos



Crianças e adolescentes precisam de autonomia e privacidade para brincar, estudar e realizar suas tarefas diárias, mas isto não significa que a participação e supervisão dos pais sobre as atividades dos filhos são dispensáveis. Quando o assunto é navegar na Internet o acompanhamento se torna quase que obrigatório. O maior problema é que, na maioria das vezes, os filhos estão na rede enquanto seus pais estão no trabalho ou quando os pais estão em casa estão não podem acompanhar os filhos. Para garantir uma navegação saudável você pode criar regras. Uma estratégia para criar regras e formular um contrato entre pais e filhos. Você pode fazer isto através de uma reunião familiar onde todos tenham oportunidade de expressar suas idéias e elaborar um acordo para utilização da Internet. Colocamos a sua disposição quatro pontos essenciais para formular um bom contrato.


1- Horário para acessar a rede Especifique os dias e horários nos quais seus filhos poderão utilizar a Internet. Marque uma reunião com eles para juntos encontrar os dias e horários mais adequados. Na Internet existem conteúdos educativos e saudáveis, mas também pornografia e violência. Por isto, tente especificar dias e horários que você esteja em casa. Alguns provedores fornecem um serviço de relatórios onde é possível saber os dias e horários que o internauta acessou a Internet e, ainda, o tempo que permaneceu na rede. Fuja dos provedores de acesso gratuito pois a maioria deles não possui uma política de proteção à criança. Este serviço geralmente é oferecido por provedores de acesso pagos, que possuem ferramentas onde é possível controlar o conteúdo Se for necessário ajustar o orçamento para contratar um provedor de acesso, discuta com seus filhos a substituição de alguma atividade de lazer da família por um acesso de qualidade, com certeza vai fazer diferença na formação deles.


2- Histórico Programas de navegação, como o Internet Explorer da Microsoft, por exemplo, possuem o recurso Histórico, que armazena por dias da semana os endereços das páginas visitadas pelo internauta. Estas informações podem ser apagada pelo usuário, mas combine com seus filhos que somente você poderá apagá-las. Desta forma você tem condições de saber quais as páginas por onde seus filhos navegam. Você pode utilizar este mesmo procedimento para os arquivos enviados à lixeira e para a relação exibida na pasta documentos do Menu iniciar do windows.


3- Salas de Bate-PapoEstabeleça regras claras sobre o uso das salas de bate-papo. Converse sobre a importância de sempre falar a verdade. Muitos adolescentes adotam pseudônimos e conseqüentemente se apresentam nas salas de bate-papo como se fosse outra pessoa, este é o primeiro passo para assumir outra personalidade e proferir mentiras. Este tipo de comportamento é pecado. “Abomino e detesto a mentira; porém amo tua lei” (Salmo 119-163). Explique aos seus filhos os perigos de revelar informações pessoais para alguém que conheceu na Internet. Número de telefone, endereço da residência e o nome da escola não devem ser informados. Converse com seus filhos de modo que eles adquiram consciência de que as pessoas que conhecemos na Internet nem sempre são o que parecem ser e que na maioria das vezes não dizem a verdade. Eles precisam saber que uma atitude errada pode comprometer a vida de toda a família.


4- Correio eletrônico Adote uma política para enviar e receber e-mails. Explique aos seus filhos que mensagens eletrônicas enviadas pela Internet (e-mails) podem extraviar-se e ser lidas por outras pessoas. Por isto, é importante evitar ao máximo enviar mensagem com informações pessoais. Fotos, por exemplo, não devem ser remetidas a desconhecidos. Dê preferência a programas de correio eletrônico, como por exemplo, o Outlook Express ou o Eudora e evite serviços de webmail. Os programas de correio armazenam informações importantes, mensagens recebidas e enviadas e que podem ser lidas sem necessariamente estar conectado à rede. Monte seu contrato, imprima e peça para que seus filhos assinem. Desta forma você estará desenvolvendo um relacionamento saudável com eles e promovendo o fortalecimento da sua família. Deixe claro que é importante respeitar todos os itens do contrato. Se houver necessidade em abrir uma exceção, tenha certeza que é uma excelente oportunidade para uma reunião familiar para discutir o assunto. Envie uma mensagem para nós contando sua experiência. Se for possível, envie seu modelo de contrato para que possamos publicar e ajudar outras famílias.


A importância das atividades Lúdicas

Estudos e pesquisas têm comprovado a importância das atividades lúdicas, no desenvolvimento das potencialidades humanas das crianças, proporcionando condições adequadas ao seu desenvolvimento físico, motor, emocional, cognitivo, e social.
Atividade lúdica é toda e qualquer animação que tem como intenção causar prazer e entretenimento a quem pratica. São lúdicas as atividades que propiciam a experiência completa do momento, associando o ato, o pensamento e o sentimento.

A criança se expressa, assimila conhecimentos e constrói a sua realidade quanto está praticando alguma atividade lúdica. Ela também espelha a sua experiência, modificando a realidade de acordo com seus gostos e interesses.

Na educação Infantil podemos comprovar a influência positiva das atividades lúdicas em um ambiente aconchegante, desafiador, rico em oportunidades e experiências para o crescimento sadio das crianças.

Os primeiros anos de vida são decisivos na formação da criança, pois se trata de um período em que a criança está construindo sua identidade e grande parte de sua estrutura física, socioafetiva e intelectual. É, sobretudo, nesta fase que se deve adotar várias estratégias, entre elas as atividades lúdicas, que são capazes de intervir positivamente no desenvolvimento da criança, suprindo suas necessidades biopsicossociais, assegurando-lhe condições adequadas para desenvolver suas competências.

Todas as instituições que atendem crianças de 0 a 5 anos, deve promover o seu desenvolvimento integral, ampliando suas experiências e conhecimentos, de forma a estimular o interesse pela dinâmica da vida social e contribuir para que sua integração e convivência na sociedade sejam produtivas e marcadas pelos valores de solidariedade, liberdade, cooperação e respeito. As intuições infantis precisam ser acolhedoras, atraentes, estimuladoras, acessíveis ás crianças e ainda oferecer condições de atendimento ás famílias, possibilitando a realização de ações sócioeducativas.

As crianças necessitam receber nas instituições de educação infantil:Ações sistemáticas e continuadas que visam a fornecer informações;Realizar vivências através de atividades lúdicas;Aprimorar conhecimentos.

São vários os benefícios das atividades lúdicas, entre eles estão:

Assimilação de valores;

Aquisição de comportamentos;

Desenvolvimento de diversas áreas do conhecimento

Aprimoramento de habilidades;

Socialização.

Quanto ao tipo de atividades lúdicas existentes, são muitas, podemos citar:

Desenhar;

Brincadeiras;

Jogos;

Danças;

Construir coletivamente;

Leituras;

Softwares educativos;

Passeios;

Dramatizações;

Cantos;

Teatro de fantoches, etc.


Projeto O Patinho Feio
















Projeto Clássicos da Bíblia - Abraão













Justificativa: O Ensino Religioso ocupa-se com a educação integral do ser humano, com seus valores e suas aspirações mais profundas. Este ensino quer cultivar no ser humano as razões mais íntimas e transcendentais, fortalecendo nele o caráter de cidadão, desenvolvendo seu espírito de participação, oferecendo critérios para a segurança de seus juízos e aprofundando as motivações para a autêntica cidadania, sem intenção de descrever nenhuma religião em particular.
Público alvo: Séries iniciais, podendo ser adaptado par educação infantil
Objetivo: Ensinar valores éticos e morais, a luz da Bíblia, utilizando as histórias e livrinhos de literatura Bíblica
Temas abordados: Obediência, fé, confiança,
Desenvolvimento:
*Conversa informal sobre o assunto (A história de Abraão)
*Leitura do livro Clássicos da Bíblia (Abraão) ou outro similar
*Levantamento de questões sobre a história lida:
Você já conhecia essa história? Quem leu pra você? Onde você viu? Você acha que Abraão foi correto em levar seu filho Isaque para ser sacrificado? Por quê?
*Relacionar a história de Abraão com a realidade dos alunos:
Você confia em Deus? E em seus pais? Você obedece seus pais? Faz o que eles mandam sem reclamar? Por que é importante obedecer pai e mãe? Por que as crianças devem respeitar os mais velhos? Acrescentar mais de acordo com a turma.
*Aplicar as atividades postadas e outras que podem ser encontrada aqui:

O Brincar no contexto atual






O brincar perdeu seu espaço físico e temporal, evidencia Friedmann (2004), pelo crescimento das cidades, aumento das distâncias, maior dificuldade de deslocamento e encontros, ausência de espaços públicos voltados ao lazer, ida da criança para escola e preocupação exacerbada com os conteúdos, falta de segurança urbana, inserção da mulher no mercado de trabalho, alto consumo de brinquedos industrializados, globalização geradora de generalizações e perda da identidade cultural.
Entretanto, faz-se necessário uma preocupação com o resgate do brincar, enquanto patrimônio lúdico-cultural, uma vez que este é um fenômeno universal de grande relevância para a caracterização e conhecimento dos grupos sociais e diversidades culturais dos vários povos do mundo como explicita diversos autores, teóricos e pesquisadores da área.
Inicia-se um debate sobre o resgate do elemento lúdico no momento vigente, o uso do tempo livre, e o brincar ocupam posição de destaque nesta discussão. A preocupação em questão, segundo explicita Friedmann (2004), não é somente o tempo livre das crianças, mas, o tempo livre dos adolescentes, pensando no uso saudável e produtivo das energias que surgem neste período; no tempo livre do adulto, cujo período de ócio vem aumentando o que gera ansiedade e uma crise de valores; e o tempo livre da terceira idade, já que a longevidade tem aumentado e o mercado de trabalho oferece poucas oportunidades de colocação neste período de vida; e a subseqüente criação de espaços de lazer.
Educar é um ato de amor
BlogBlogs.Com.Br

Atividades Juninas
















Patinhos


Projeto Procurando Nemo

Aprendendo com o Nemo
JUSTIFICATIVA
O trabalho com vídeos infantis torna a aula mais atrativa, dinâmica e mais próxima da realidade dos alunos.
Valoriza a língua como veículo de comunicação e expressão das pessoas e dos povos, abrangendo o desenvolvimento da linguagem, da leitura e da escrita.
OBJETIVOS:
Recuperar as histórias da primeira infância;
Preparar a criança para a aprendizagem da leitura e da escrita, de maneira lúdica e criativa;
Trabalhar com a narração, com o corpo e a gesticulação, entonação e preparação do espaço a ser utilizado pelas crianças, ampliando os vários sentidos da narrativa;
Garantir ainda uma relação mais afetiva entre professores e alunos e facilitar uma melhor integração no ambiente escolar;
Refletir sobre os princípios éticos, morais e culturais apresentados no vídeo, interligando-os com a realidade atual, desenvolvendo a habilidade da argumentação;
Produzir textos diversos coletivamente (narrativos, descritivos, bilhete, receitas, anúncios,);
Explorar a linguagem oral e escrita.

MATERIAIS:

DVD: Procurando Nemo; Televisão e DVD; Fantoches ou dedoches dos personagens; Diversos (sulfite, lápis de cor, giz de cera, cartolina,...).

DESENVOLVIMENTO
1) Apresentação do filme: capa, material, título, gravadora, ilustrações.
2) Contar a história Fazendo inferências;
3) Levantar questionamentos sobre o filme ;
4) Passar o filme:
5) Interpretação oral: os alunos contam a história, identifica os personagens, o tempo, o espaço que acontece a história (Onde? Quando?, O que?, Como?, Com quem?);
7)Citar diferentes obras de diversos autores fazendo a comparação.
6) Dramatização;
7) Atividades orais e/ou escritas tais como:
· Escrita de palavras com letras móveis
· Caça-personagens
· Cruzadinha
· Receita
· Seqüência com tarjas (música)
· Reescrita coletiva de um texto elaborado pela classe
· Você já se perdeu de seus pais alguma vez? Se você nunca se perdeu, conte alguma história de alguém que já tenha se perdido.
· Escreva um bilhete para o pai do Nem que ele está bem.
TEMAS TRANSVERSAIS
Ética: Diálogo, respeito mútuo, responsabilidade, cooperação, autonomia, organização, solidariedade. Trabalho coletivo, compartilhar descobertas.
Pluralidade Cultural: Educação – Diferentes formas de transmissão de conhecimento: práticas educativas e educadores nas diferentes culturas;
Cidadania: Direitos e deveres individuais e coletivos. Literatura e tradição: línguas, dialetos, variantes e variação lingüística.
HISTÓRIA – GEOGRAFIA – CIÊNCIAS
ATIVIDADES: (DIRIGIDAS, ILUSTRADAS E/OU ORALMENTE).
TEMAS: RELAÇÃO PAI-FILHO, FAMÍLIA, CASA, ANIMAIS MARINHOS, ALIMENTOS ,...
1) Diga sim ou não nas características dos peixes: (Oralmente)
Feroz, aquático,mamífero, carnívoro, doméstico, quadrúpede, manso, herbívoro, corpo coberto de escamas, selvagem, bípede.
2) O peixe é um animal marinho, e tem o corpo coberto de escamas. Escreva o nome de outros animais que têm as mesmas características.
3) Qual é o tipo de alimentação dos peixes? (Oralmente)
4) De onde vem a água que os animais bebem? (Oralmente)
5) Escreva nomes de outros seres aquáticos que servem de alimentação para o homem.
6) Diga nomes de peixes.
7) Diga o nome de alguns produtos industrializados para cada matéria-prima. (Oralmente)
Leite, carne, tomate, couro, cana-de-açúcar8) Quais os cuidados que devemos ter com os animais? (Oralmente)
9) Você tem um aquário em casa? Quais os cuidados que você deve ter com ele? (Oralmente)
10) Como deve ser o local onde os animais vivem? (Oralmente)
11) Em que zona do município acontece a história do Nemo? (Oralmente)
12) Em qual zona você mora? (Oralmente)
13) Qual zona do município é melhor morar? (Oralmente)
14) Quais os alimentos que utilizamos que vem do campo? (Oralmente)
15) Que meios de transportes aparecem no filme? (Oralmente)
16) Desses qual o meio de transporte que você mais usa? (Oralmente)
17) Você obedece a seus pais? Como você trata seus pais? (Oralmente)
18) Desenhe os meios de transporte que você conhece: Terrestre Aquático Aéreo
19) Em qual estação do ano você acha que aconteceu a história? Por quê? (Oralmente)
20) Você sabe quais são as estações do ano? (Desenhe-as).
21) Vamos recordar onde moramos: (Oralmente)
Planeta, Continente, país, região, estado, capital, município,

Projeto Chapeuzinho vermelho
















PROJETO: CHAPEUZINHO VERMELHO






JUSTIFICATIVA
O trabalho com contos clássicos torna a aula mais atrativa, dinâmica e mais próxima da realidade dos alunos.
Valoriza a língua como veículo de comunicação e expressão das pessoas e dos povos, abrangendo o desenvolvimento da linguagem, da leitura e da escrita.
OBJETIVOS:
Recuperar as histórias da primeira infância;
Preparar a criança para a aprendizagem da leitura e da escrita, de maneira lúdica e criativa;
Trabalhar com a narração, com o corpo e a gesticulação, entonação e preparação do espaço a ser utilizado pelas crianças, ampliando os vários sentidos da narrativa;
Garantir ainda uma relação mais afetiva entre professores e alunos e facilitar uma melhor integração no ambiente escolar;
Refletir sobre os princípios éticos, morais e culturais apresentados no vídeo, interligando-os com a realidade atual, desenvolvendo a habilidade da argumentação;
Produzir textos diversos coletivamente (narrativos, descritivos, bilhete, receitas, anúncios,);
Explorar a linguagem oral e escrita.
MATERIAL
Fita de vídeo: Chapeuzinho Vermelho; Televisão e vídeo; CD da história Chapeuzinho Vermelho - Clássicos Inesquecíveis; Diversos (sulfite, lápis de cor, giz de cera, cartolina,...).
DESENVOLVIMENTO
1) Apresentação do livro: capa, material, título, editora, ilustrações.
2) Ler a história toda e mostrar as figuras;
3) Ouvir o CD Clássicos Inesquecíveis;
4) Interpretação oral: os alunos contam a história, identifica os personagens, o tempo, o espaço que acontece a história (Onde? Quando?);
5)Contar diferentes obras de diversos autores fazendo a comparação.
6) Dramatização;
7) Atividades orais e/ou escritas tais como:
Escrita de palavras com letras móveis
Caça-personagens
Cruzadinha
Receita
Seqüência com tarjas (música)
Reescrita coletiva do texto
Você já desobedeceu a sua mãe alguma vez? Se você nunca desobedeceu, conte alguma história de alguém que já tenha desobedecido.
Escreva um bilhete para a mãe de Chapeuzinho avisando que a vovó não estava muito bem de saúde. (DIRIGIDA)
TEMAS TRANSVERSAIS
Ética: Diálogo, respeito mútuo, responsabilidade, cooperação, organização, solidariedade. Trabalho coletivo, compartilhar descobertas.
Pluralidade Cultural: Educação – Diferentes formas de transmissão de conhecimento: práticas educativas e educadores nas diferentes culturas; Cidadania: Direitos e deveres individuais e coletivos. Literatura e tradição: línguas, dialetos, variantes e variação lingüística.
HISTÓRIA – GEOGRAFIA – CIÊNCIAS
ATIVIDADES: (DIRIGIDAS, ILUSTRADAS E/OU ORALMENTE).
TEMA: FAMÍLIA, CASA, ANIMAIS, ALIMENTOS, ZONA RURAL E URBANA,...
1) Diga sim ou não nas características do lobo: (Oralmente)
feroz, mamífero, carnívoro, doméstico, quadrúpede, manso, herbívoro, corpo coberto de pêlos, selvagem, bípede.
2) O lobo é um animal quadrúpede, mamífero e tem o corpo coberto de pêlos. Escreva o nome de mais cinco animais que têm as mesmas características. 3) Qual é o tipo de alimentação dos lobos? (Oralmente)
4) De onde vem a água que os animais bebem? (Oralmente)
5) Escreva nomes de plantas que servem de alimentação para o homem. 6) Entre os doces que Chapeuzinho levou para a vovó tinha um bolo de milho. O milho é matéria-prima que serve de alimento para o homem e animais. Ele pode ser transformado em vários produtos industrializados. Diga o nome de alguns. (Oralmente)
7) Diga o nome de alguns produtos industrializados para cada matéria-prima. (Oralmente)
Leite, carne, tomate, couro, cana-de-açúcar8) Quais os cuidados que devemos ter com os animais? (Oralmente)
9) Você tem cachorro em casa? Quais os cuidados que você deve ter com ele? (Oralmente)
10) Como deve ser o local onde os animais vivem? (Oralmente)
11) Em que zona do município acontece a história do Chapeuzinho Vermelho? (Oralmente)
12) Em qual zona você mora? (Oralmente)
13) Qual zona do município é melhor morar? (Oralmente)
14) Quais os alimentos que utilizamos que vem do campo? (Oralmente)
15) Chapeuzinho Vermelho usou algum meio de transporte para visitar sua avó? (Oralmente)
16) Quando você vai visitar sua avó, qual o meio de transporte que você usa? (Oralmente)
17) Você obedece a sua avó? Como você trata seus avós? (Oralmente)
18) Desenhe os meios de transporte que você conhece: Terrestre Aquático Aéreo
19) Em qual estação do ano você acha que aconteceu a história? Por quê? (Oralmente)
20) Você sabe quais são as estações do ano? (Desenhe-as). 21) Vamos recordar onde moramos: (Oralmente)
Planeta, Continente, país, região, estado, capital, município,
MATEMÁTICA (DIRIGIDA)
1) A mãe de Chapeuzinho fez um bolo de milho para vovó. Ela usou 5 espigas de milho e outros ingredientes. Se ela fizesse dois bolos, quantas espigas usaria? (Desenhar as espigas de milho). 2) Chapeuzinho levou também brigadeiro. Para fazer brigadeiro precisa de uma lata de leite condensado. O preço da lata é R$ 2,00. Se ela fizesse o dobro de brigadeiro, quanto gastaria? (Representar o dinheiro através de cédulas ou moedas). 3) Se eu trouxesse 25 brigadeiros para distribuir entre os alunos, quantos brigadeiros cada aluno iria receber? (Desenhar o número de alunos e os doces. Depois ligar um ao outro). PRODUTO FINAL: Confecção de livrinhos de receitas para o “Dia das Mães”
AVALIAÇÃO:
Os alunos serão avaliados no desempenho das habilidades e competências utilizadas nas atividades escritas e orais.
Chapeuzinho Vermelho
Era uma vez uma linda menina, que morava com sua mãe em uma bela casinha. Ela sempre usava uma capa com um chapeuzinho bem vermelho. Certo dia sua mãe pediu que ela fosse levar uma cestinha cheia de doces para sua vovó:__ Chapeuzinho! Chapeuzinho! Vá levar essa cestinha de doce para a vovó, mas evite o caminho da floresta que é perigoso, vá pelo bosque e não fale com estranhos. __ Está bem mamãe. Tchau. Chapeuzinho adorava sua avó, e saiu em disparada cantando de alegria:. “Pela estrada afora eu vou bem sozinha...”. Queria fazer uma surpresa para a vovó e começou a colher as flores que encontrava pelo caminho. A menina estava tão distraída com as flores quando deu de cara com o lobo mau. Ela não sabia que ele era o Lobo malvado, mas não se assustou e nem sentiu medo. __ Bom Dia, Chapeuzinho Vermelho.__ Bom Dia!__ Aonde você está indo?__ Vou visitar minha vovozinha, que está muito doente. __ Por que você não vai pela floresta, que é bem mais perto?__ Será que é mesmo? Minha mãe disse para eu ir pelo bosque. __ Claro que é mais perto pela floresta, sua mãe está enganada.__ Muito obrigada Senhor Lobo, tchau.Enquanto Chapeuzinho seguia pelo caminho da floresta, o Lobo rapidamente seguiu pelo bosque, cantando e correndo: “ Eu sou o Lobo Mau, Lobo mau....”O Lobo chegou na casa da vovozinha e bateu na porta:__ Tum, tum! Vovó, vovozinha?__ Quem está aí?__ Sou eu, Chapeuzinho Vermelho - disse o Lobo disfarçando a voz. __ Entre minha netinha, a porta está aberta.O Lobo que era muito rápido, foi entrando e de uma só vez engoliu a vovozinha. Depois vestiu as roupas dela, e ficou esperando Chapeuzinho Vermelho. Chegando na casa da vovó:__ Tum, tum! Vovó, vovozinha?__ Entre querida. __ Vovó! Por que suas orelhas estão tão grandes?__ É pra te ouvir melhor. __ Vovó! Para que esses olhos tão grandes?__ É para te ver melhor. __ Credo vovó, por que a senhora está com essa boca tão grande?__ É para te comer!!!Dizendo isso, o Lobo começou a correr atrás de Chapeuzinho. Depois de algum tempo ele tropeçou e caiu no chão.Enquanto isso a menina se escondeu dentro de um velho armário.O Lobo resolveu dar uma cochilada e começou a roncar. Uns caçadores que passavam escutaram: __ Que ronco esquisito é esse?__ Pois é, também estou ouvindo. __ Vamos ver o que é?__ Ah! É o Lobo!__ Será que ele comeu a vovó?Ouvindo isso, Chapeuzinho apareceu e contou toda a história: __ Senhores o Lobo me enganou, chegou aqui antes de mim e deve ter comido minha vovozinha. Ele queria me comer também. __ Então, o que vamos fazer? – disse um caçador. __ Vamos cortar a barriga dele.Aproveitando que ele está dormindo cortaram sua barriga, e tiraram a vovozinha de dentro. As duas se abraçaram muito felizes. __ E agora o que faremos com esse malvado?__ Vamos encher a barriga dele com pedras. – disse um dos caçadores. Quando o Lobo acordou, tentou fugir, mas ele caiu e nunca mais levantou.Todos ficaram aliviados e felizes. Os caçadores foram embora, e as duas foram sentar na varanda e saborear os doces. __ Vovó, eu prometo nunca mais desobedecer minha mamãe.__ Isso mesmo, os filhos não devem desobedecer suas mães, elas sempre querem o melhor para seus filhinhos.
MÚSICA
PELA ESTRADA A FORA, EU VOU BEM SOZINHALEVAR ESSES DOCES PARA A VOVOZINHAELA MORA LONGE, O CAMINHO É DESERTOE O LOBO MAU PASSEIA AQUI POR PERTOMAS À TARDINHA, AO SOL POENTEJUNTO À MAMÃEZINHA DORMIREI CONTENTE.








Jogos como recursos pedagógicos

O professor poderá se utilizar de jogos e brincadeirtas como recursos pedagógicos na construção da leitura e da escrita, matemática e para ensinar todos os conteúdos, bastando saber uso o jogo na hora adequada.- Um jogo interessante e desafiador para as crianças resolverem.- verificar se o jogo é propício às crianças de acordo com o seu desenvolvimento e prontidão.- Dar oportunidade que todos possam participar ativamente do princípio ao fim do jogo.- Permitir que as crianças possam se auto-avaliar no final do jogo.Para que o jogo seja produtivo, deve se fazer com os o levantamento das atividades básicas de comportamento:-Não tomar iniciativas sem consultar o grupo.- Dar a todos os mesmos direitos de participar e vencer.- Daber o momento de falar e ouvir.- Não interromper o companheiro, quando este estiver expondo seu ponto de vista.- Saber perder.- Não colocar a culpa dos fracassos nos outros.- Não desvalorizar os vencidos.- Deixar tudo em ordem no final, da mesma forma que estava inicialmente.

A imaginação infantil


Acredita-se cada vez mais na importância e na influência dos contos de fada, no desenvolvimento do imaginário infantil.
Ouvir e contar histórias é fundamental para o desenvolvimento da identidade da criança, pois através dos contos ela tem a possibilidade de ensaiar seus papéis na sociedade, adaptando-se a situações reais e colocando-se dentro da história, como também desencadeia idéias, opiniões, sentimentos e criatividade, antecipando situações que a criança só iria experimentar na vida adulta.
Os contos de fadas proporcionam desenvolvimento da imaginação, socialização em grupo, percepção de mundo, e na construção da identidade e autonomia da criança.

Projeto Água

A vida na água
OBJETIVOS: conhecer diferentes tipos de seres que vivem na água. Conscientizar- se do papel do homem na preservação dos rios, lagos e mares.
COMO SURGIU O TEMA? Durante o 1ª semestre, os alunos do Pré, desenvolveram o projeto: "A ÁGUA E SUA IMPORTÂNCIA PARA A NOSSA VIDA".
Neste percurso, descobriram que: NA ÁGUA EXISTE MUITA VIDA ! E QUISERAM DESCOBRIR MAIS:
• Que tipos de peixes e plantas existem na água?
• Como os peixes nascem?
• Como os peixes respiram?
• Tudo o que vive na água sabe nadar?
• O que os animais que vivem na água comem? COMO CAMINHAMOS ?
• Os alunos do pré retomaram os estudos do semestre anterior e repartiram o conhecimento construído com os alunos do jardim.
• Pesquisas em livros, revistas, vídeos, cds, sobre os diversos tipos de plantas e animais que vivem na água.
• Visita à loja de peixes e escolha do tipo de peixe para colocar no aquário a ser montado em sala de aula. O peixe escolhido foi o lebiste, devido ser também encontrado nos rios da região, ser predador natural das larvas de mosquito (inclusive o da dengue) e por reproduzir rapidamente e em grande quantidade.
CONTEÚDOS UTILIZADOS NO DESENVOLVIMENTO DO PROJETO LIBERANDO A EXPRESSÃO possibilidade de expressar o conhecimento construído através de:• fala, mímica, dramatização;
• modelagem, pintura, dobraduras;
• desenho, escrita;
• elaboração de relatórios;
• criação de poesias e cantigas.
MATEMATICANDO A VIDA Para resolver os nossos problemas e compreender as nossas descobertas, tivemos que buscar ajuda na matemática:
• contagem numérica
• as quatro operações
• medidas de comprimento
• medidas de capacidade
• noções de espaço DESCOBRINDO A NATUREZA Conhecemos diversos tipos de plantas e animais que vivem na água e aprendemos muita coisa sobre eles:
• características
• habitat
• utilidade
• reprodução
• alimentação
• locomoção ENTENDENDO O HOJE NO TEMPO E NO ESPAÇO compreendemos as diferença da vida na água:
• nos dias de hoje e antigamente
• nos lagos, rios e oceanos aprendemos que as pessoas são responsáveis pela preservação da vida na água
SITUAÇÕES SIGNIFICATIVAS DURANTE O DESENVOLVIMENTO DO PROJETO
1. CONSTRUÇÃO DO PAINEL "A VIDA NA ÁGUA"
2. MEDIDA DE COMPRIMENTO: Utilizando palitos de picolé, foram medidos os seis aquários existentes na sala de aula.
3. O nascimento dos filhotes dos Lebistes e a preocupação das crianças em separá-los da mãe para que não fossem devorados.
4. A descoberta dos "Poliquetas", minúsculos animais marinhos que vieram despercebidos, juntamente com as pedras e algas trazidos da praia.
5. A constatação de que a nossa estrela do mar tem seis pontas, considerando que todas as demais observadas no mar possuíam apenas cinco pontas.
6. A tristeza pelo desaparecimento de alguns espécimes, que serviram de alimento para outros. As anêmonas comeram os cavalos-marinhos; a ostra e os mariscos serviram de alimento para a estrela do mar.
7. A identificação dos machos e fêmeas dos filhotes de Lebistes.
8. A conscientização da necessidade de devolver o "Pepino do Mar" ao seu lugar de origem, uma vez que o mesmo produzia muita "sujeira" dentro do aquário.
9. A observação constante que as crianças fazem da vida existente em nossos aquários e a relação que estabelecem com as observações que fazem fora da escola: nas lagoas em suas casas, no rio que passa pelo bairro e nos passeios à praia com seu familiares.
10. Elaboração de um livro de poesias para os nossos amigos que vivem na água.
11. Criação de histórias sobre o nosso relacionamento com os animais que vivem na água.
Cantinho lúdico